COMO TORNAR-SE UMA PESSOA MELHOR


Sabemos que podemos fazer o melhor, mas não no esforçamos para que isso mude, porque o ser humano é assim?

Ninguém em particular pode mudar o mundo. Até mesmo os governantes, eles podem ajudar, mas mudar exige uma revolução interior sem bases em propostas externas. Um mestre age com a mesma intenção. Ele mostra um impulso de percepção que estava dentro do discípulo prestes a aflorar, mas não constrói o caminho para o aprendiz. O caminho é feito pelo buscador, é ele quem recebe as respostas de volta... Quando intencionamos mudar as pessoas e os eventos ao redor estamos começando pelo lugar errado. No momento em que assumimos o verdadeiro poder em nosso interior, reconhecemos a responsabilidade que temos conosco e com tudo que nos cerca. A vida só muda quando o indivíduo muda. Essa mudança interna é uma simples convicção, uma percepção, uma ideia que se aloja na consciência e começa a fabricar o percurso com suas mudanças externas. A sensação que temos quando fazemos algo bom para o meio é de que estamos ajudando, mas essa sensação só traz luz para o seu próprio mundo interior. E você acorda achando que é uma pessoa boa que está ajudando o mundo e esse reflexo de sentimento cria uma rede vibrátil que acaba se comunicando com a energia do coletivo e do universo. E essa energia é como um rio caudaloso que flui para um ponto de devolução. Este rio sabe exatamente para quem vai devolver de uma forma plenamente inteligente e milagrosa. O ser humano é bom por natureza; quando ele é mau, está indo contra a sua natureza. Essa maldade ou revolta está apontando algo em seu interior que não vai nada bem — um porão de sofrimento e angústia do qual ele mesmo é responsável e arcará com todas as consequências disso. Não há justiça divina que abençoe ou condene alguém, há uma inteligência que responde muito além de todos os julgamentos.

A relação do homem com o universo pode torná-lo melhor? De que forma?

Tornamo-nos uma pessoa melhor quando constatamos que isso afeta particularmente a nossa vida. O ser humano, embora gregário, é uma unidade individual. As consequências de nossos pensamentos, emoções e atitudes são unicamente experimentadas por nós mesmos. Podemos pressupor e imaginar o sofrimento alheio, mas só quem experimenta na pele possui plena observação do que se passa em sua vida. O universo age apenas como uma mola gigante de suas emoções e pensamentos. Ele impulsiona aquilo que está vazando de você e nesse impulso forte, há uma lei de retorno implacável. As pessoas nascem com este conhecimento imbuído e elas estão cientes disso porque sentem esta condição refletir em seu meio. O universo começa a ser seu amigo quando você decide cuidar de si mesmo, olhar para si mesmo como alguém que é capaz de gerar a própria felicidade em vez de escolher ser como uma marionete do destino. É a partir disso que você sente o impulso em direção ao melhor porque sabe que essa resposta pode tardar, mas jamais falhará com ninguém.

Como podemos nos conhecer melhor para nos tornar pessoas melhores?

O único caminho é atingir o seu núcleo interior. Em qualquer circunstância da vida o seu maior mestre será o seu interior porque é ele que vai dizer o que é melhor para si mesmo, mostrando-lhe o caminho da felicidade e por onde começar a caminhar. Esse mundo em seu interior lhe mostrará um direcionamento que lhe apontará desejos que você ainda não realizou. Esses desejos são como desenhos em uma mandala ou uma matrix que espelha o seu passado e suas percepções cognitivas do que é bom e prazeroso. No momento em que você pergunta para si mesmo o que quer viver, você está convidando para que as vozes dos julgamentos externos se calem. A voz da vez, neste momento, será o seu âmago falando sobre aquilo que é mais importante e essa voz tem sempre prioridade e profundidade porque ela está muito ligada à sua fonte espiritual. Quando você conhece o seu desejo, reconhece uma miríade de informações sobre si mesmo que não estavam lá antes deste regresso interior. O desejo vai se mostrando e se estruturando, crescendo e se autodescobrindo ao mesmo tempo em que você vai compreendendo o seu caminho de um ponto de vista de maior completude. Tudo evolui e tudo é completado por este fluxo de evolução que está contido na matrix de experiências e escolhas pessoais de cada um.

A expressão " A união faz a força" é verdadeira? A união é o caminho para que a civilização atual evolua e seja melhor para as gerações futuras?

A união faz a força porque são como as furiosas águas de um rio, este repuxo coletivo é capaz de mudar o eixo de um planeta, alterando a malha vibrátil. É a vibração da humanidade que coloca este nosso mundo num rumo de ascensão dimensional. E esses buscadores unidos são capazes de abrir portais que antes estavam trancados pela terceira dimensão. Você que está lendo esta matéria vai entender bem através de seus sentimentos que essa travessia já começou em seu íntimo, e juntos iremos alcançar novas formas de viver em uma nova terra. 2012 é uma era que abrange muitos potenciais para muitos para que possamos fazer uma passagem perfeita e tranquila depois de um longo processo de trabalho e espera.

Quando você percebe algo novo, quando uma ideia revoluciona os seus desejos, quando você evolui sobre si mesmo, você está indo numa corrente que eleva outras pessoas. Vou dar o exemplo do livro Universo em Você: Quando tenho um estalo de consciência que não estava ali há dois minutos, o livro que escrevi em 2001 também evolui para o leitor que está lendo seus trechos hoje mesmo. É como se o universo da mensagem e o universo da consciência do leitor se misturassem de forma precisa. Por isso a expressão: “nada acontece por acaso” é de grande importância porque nada que entre em seu universo entra por acaso. Há um holograma preciso que é justificado pela opção dos seus caminhos e direcionamento energático. Com isso, a mensagem ganha novas proporções porque os universos se ligam a outros universos resultando em clareza e fazendo a conexão com as partes que ainda estavam soltas. Essa unidade é como um “ballet” que não pode acontecer sozinho. Nada pode evoluir sem afetar a comunidade porque essas percepções têm anzóis vibratórios que puxam outros níveis de consciência que são capazes de gerar a realidade e investir de resultados uma era inteira. Embora, o ser humano seja uma unidade, ele não pode estar separado do todo e deixar de levar o grupo para outras dimensões de possibilidades. Há tanta beleza energética nesse processo intuitivo e cooperativo que você se sente inclinado a dançar esta bela dança cósmica. E, então, um novo mundo é gerado, uma abertura dimensional começa a ter o seu propósito para existir porque você está fazendo parte disso. Você move, aciona, ajusta e experimenta esse novo holograma multidimensional que é possível graças aos seus níveis vibráteis. O seu papel é tão belo e fundamental nesses acordes que é com grande expectativa que o universo observa a riqueza dessa inédita experiência para cada construtor e buscador.

O que é preciso para encontrar essa unidade com o próximo?

O único caminho viável é através do encontro com a unidade de cada um. Você não pode amar o outro sem ter passado através dos seus porões individuais. No momento em que descobrimos qual é a mola que move as nossas melhores emoções, fazemos um pacto com a grande mola do universo e ela impulsiona nossas raízes para um campo fértil. Ninguém precisa se preocupar com o próximo, porque a preocupação vai gerar um fluxo que não resolve os problemas. Se você puder ajudar, então está bem, mas se você não puder ajudar então não se preocupe, pois o universo é capaz de cuidar do resto. O universo tem a habilidade inata de colocar tudo no seu devido lugar. Você olha para uma pessoa sofrendo hoje e é claro que isso toca a sua compaixão, mas a verdade é que o universo está devolvendo a este indivíduo algo real que ele vem cultivando em seu território vibrátil.

Você precisa ter em seu coração que a morte é tão sua amiga quanto a vida. Nem sempre tal percepção é fácil de alcançar, mas o caminho de direcionamento de luz interior lhe mostrará uma liberdade que apenas Deus é conhecedor. E essa liberdade tem muito a ver com o encontro da felicidade em seu interior. A felicidade só é encontrada quando você desenrola o seu propósito de vida, aquilo que você sempre quis ser, ter, experimentar, viver... É essa descoberta que se ascende e age como uma chama que tende a iluminar o seu estar no mundo. O desejo age como um religar-se com Deus porque é essa busca que lhe faz ser alguém melhor.

Como realizar nossas tarefas com perfeição no universo que vivemos em que a maioria das pessoas vive com pensamentos egoístas?

Você pode realizar qualquer tarefa em parceria com o universo sem precisar de mais ninguém porque esse processo só depende de si mesmo. O egoísmo não é seu inimigo, muito pelo contrário: ele é a maneira que você usa para olhar para a sua individualidade e você não pode vibrar nada melhor se não tiver tropeçado em suas próprias raízes. Ninguém que não seja egoísta pode ajudar o outro. Egoísmo é sua condição natural e humana de sobrevivência, é um manual que já veio agregado aos seres vivos. É impossível condenar essa natureza. Todo aquele que tenha realizado seus desejos materiais ou espirituais já passou pelos momentos mais egoístas do mudo e isso é natural.

Você não pode condenar o ego, ele é a sua capacidade de sobrevivência e defesa como ser vivo. Tudo que condenamos toma proporções maiores. As pessoas não precisam se preocupar com o egoísmo; o universo tem resposta para tudo então porque se preocupar se outro está sendo egoísta ou não? O verdadeiro veneno de nosso interior é o julgamento. É ele que não nos traz fluidez porque faz com que enxerguemos apenas através do limitado da mente e, então, um campo de possibilidades se perde, os milagres se perdem... No momento em que você diz isso é bom, isso é ruim, isso é branco, isso é azul... Você está delimitando todas as outras possibilidades e gerando uma energia de controle que o universo nunca compactuará. O universo assume a mesma postura que Deus assume, ele não olha para você e diz: “Você hein? Esperava mais de você. Hum, não gostei disso!” Para Deus e o universo, tudo o que você faz é perfeito porque tudo o que você é agora está destinado por suas escolhas pessoais e elas serão sempre respeitadas diante de um fluxo de evolução sem fim.

As pessoas mais amorosas que conheço são egoístas porque elas encontraram uma maneira de dizer a si mesmas que elas têm prioridade na vida. Jesus foi o maior egoísta da história; há uma parábola indiana que relata que em certos momentos, em meio ao seu discurso para o grupo, ele parava tudo na metade e dizia: “Até outro dia meus irmãos, a minha oração está vindo e preciso ficar só...”. Jesus não estava preocupado se a mensagem seria deixada pela metade, ele estava olhando para algo maior que tinha prioridade sobre tudo. Outro exemplo: Buda largou a sua família para meditar por sete anos na floresta. Quando ele foi embora, sem avisar ninguém, seu filho era um recém-nascido e sua mulher ficou sem saber de nada. Buda teve que respeitar este chamado interior e ir embora sem aviso. Tal atitude deve ter lhe doído muito, mas havia algo maior que lhe puxava para outro rumo — um apelo muito mais forte do que arcar com as obrigações da família que ele tanto amava.

Toda vez que estivermos achando que alguém é egoísta, através da pobreza de qualquer julgamento, é sinal de que estamos abandonados de nós mesmos e desse recurso interior que conhece a maneira de se divertir com a vida. Não conheço ninguém que possa dar ao outro sem ter dado a si próprio em primeiro lugar. Enquanto você não for egoísta e não olhar para aquilo que o seu interior está pedindo, estará sempre olhando para fora, para o outro, para o que o outro está fazendo e esse espaço é território de uma única prisão: O julgamento — sinônimo de controle e falta de divertimento com a vida. Olhar para dentro, reconhecer e descobrir a si mesmo cria a possiblidade de um olhar para fora com um outro tipo de luz. Esse novo tipo de lucidez pode ajudar o mundo.

Como fazer nossa parte para que nosso próximo também se torne melhor?

Você só pode fazer uma parte: ser egoísta por um tempo, olhando para si mesmo e construindo com seus fragmentos pontes que lhe levarão à realização de seus desejos. Todos nós temos necessidades íntimas, apelos que vão construindo a base de nossos desejos e essa condição precisa ser reconhecida e ter prioridade sobre tudo. Se não fosse assim não haveria sentido estar no mundo... Suas emoções geram estímulos mentais que nenhum filme ou atividade externa consegue proporcionar. Essas emoções são criadoras porque elas possuem fragmentos vibráteis que navegam pelo universo com uma força incrível. Uma ideia é direcionada para virar uma crença e é a partir de suas crenças que o universo se reformula para gerar condições de vida. Quando você muda e investe nessa mudança porque ela está lhe fazendo bem, e seus radares internos sabem exatamente que tipo de pensamento lhe faz bem, então, o mundo muda gradativamente com você. O outro e tudo em volta muda quando assumimos uma nova postura de pensamento e sentimento.
Quando você diz: “Estou olhando apenas para aquilo que o meu mundo interior está dizendo. Aqui dentro, tudo está se realizando da maneira como eu quero e isso é maravilhoso.” Então, a realidade externa começa a tomar a mesma identidade porque o universo está olhando para o reflexo que você está emitindo de si mesmo. Não há poder maior que possa vincular, por muito tempo, este direcionamento a uma realidade antiga. Uma mudança em sua direção interior gerará mudanças no exterior e isso não pode ser evitado.

A meditação é um dos caminhos para o homem se encontrar e melhorar como ser humano?

Ser meditativo é estar separado do agitado movimento dos eventos, do fluxo emocional das pessoas, do redemoinho mental do mundo. Meditação é concentração sem a intervenção da mente. Você vira apenas um observador de si mesmo e de tudo ao seu redor. Tudo que a vida lhe trouxer está bem, porque a mente não está mais ali para julgar se isso é bom ou não... Contudo, há outro caminho para se distanciar da mente e contribuir para que ela seja um guerreiro ao seu favor. Este caminho é através do direcionamento. Diariamente, provoque-se para pensar e sentir sobre as coisas que quer ser, ter, experimentar e fazer. Utilize uma palavra que seja o seu mantra, ou faça afirmações que determinem o caminho pelo qual a sua realidade vai correr, ou escreva sobre isso... Este direcionamento, cedo ou tarde, vai lhe colocar em uma postura meditativa porque assim como você fala com a mente, o seu espírito vai começar a conversar com você e consequentemente o universo vai falar com você. Diante de tanta informação, você se voltará cada vez mais para o mundo interior que é de onde tudo brota.

Se você for muito agitado, com alto fluxo mental e optar pela meditação isso vai atrapalhar a sua vida e não irá resolver nada, porque você não será meditativo e nem a mente será silenciosa. Acaba a meditação e a cabeça entra no fluxo giratório de novo. O direcionamento irá, paulatinamente, lhe condicionando a uma postura e forma de pensar no nível de suas afirmações e palavras. Além disso, a sua realidade também passará a ser direcionada para o rumo que você decidiu tomar. Tudo é vibração e tudo depende da vibração. A vida é o resultado desse fluxo eterno. Quando você manipula perfumes, de uma forma ou outra, suas mãos serão tocadas pela fragrância e isso serve para tudo. Então, quando for pensar em meditar, pense num direcionamento como, por exemplo: agradecer pelas coisas que são suas e por tudo que ainda não se materializou em sua vida — A gratidão possui um efeito poderoso porque ela reflete uma linguagem do espírito que sobrepõe a mente.

Divirta-se com isso, celebre o poder que emana de você em termos de energia e vibração emocional. Faça com que o processo afirmativo e de gratidão seja a sua meditação. Você verá como a mente se voltará mais para o seu interior do que o lado de fora da vida. Enfim, o universo sempre concordará com aquilo que faz com que você se sinta bem. Se a meditação lhe proporcionar um estímulo que outro método não traz, então ela é perfeita para o seu interior. Faça aquilo que o espírito pede e este será o melhor caminho.

Qual o conselho que você pode dar para quem deseja se tornar melhor, mas ainda não encontrou um caminho que leve a esse objetivo?

Quando faço esforço para ser melhor sei que isso está fadado a não dar certo. A simples tentativa já é um fracasso porque nosso interior não pode ser forçado. Ser uma pessoa melhor é sinônimo de ser uma pessoa melhor para si mesmo, só então o outro poderá ser tocado por essa vibração boa. Em primeiro lugar: largue todos os “tenho que...”. Você não precisa ter de fazer nada. Você é fruto de uma proposta vibrátil que se materializou neste planeta e a forma como você vive a vida é perfeita sob qualquer condição. Você tem que derrubar a ideia de que está faltando algo para que você seja melhor. Essa é uma ideia da mente que insiste em achar que tudo tem que ser diferente do que é. A mente está sempre descontente, achando tudo um absurdo e que tudo deve melhorar e ser diferente do que é. Mente é sinônimo de descontentamento.

Quanto maior é o contato com a sua divindade — Eu Superior — melhor direcionado você estará e encontrará perfeição nas pequenas coisas e principalmente em si mesmo. Largue-se no fluxo da vida, não se preocupe com a ideia de evolução como uma condição a ser alcançada. Ser feliz é tornar-se uma pessoa melhor e ser feliz é uma das coisas mais difíceis. Por isso existe o desejo que age como um sinalizador da felicidade para o buscador. O desejo ajudará muito no percurso: fará com que você conheça a si mesmo e perceba o caminho para onde você está indo... O desejo vai lhe convidar, naturalmente, para uma postura de direcionamento. Ou seja, você começa a falar a mesma língua de suas necessidades espirituais que também falam com você gerando uma rede energética que vibra como uma identidade que você assumiu. Essa postura irá, inevitavelmente, moldando a mente para o rumo da linguagem realizadora. Os fragmentos vibráteis que saem das coisas que você diz, sente e pensa representam o cimento na construção de uma nova vida, de uma nova realidade. Consciente dessa nova vida dançando em seu interior, você reconhece que a felicidade está ali flutuando em um local sagrado em seu interior que origina tudo que você toca e experimenta nessa existência.

Acredito em um caminho para a felicidade que é o direcionamento. Com essa provocação em seu íntimo você encontra suas raízes e a energia vital começa a pulsar em seu interior porque há um movimento poderoso aí. Sem essa energia você viverá em função da mente, procurando acontecimentos externos que possam lhe tirar da condição de insatisfeito.

- Silvia Rêgo
Embaixadora do Conselho Mundial de Cidadania Planetária - WCPC.

- Julio Lótus
Cidadão Planetário do Conselho Mundial de Cidadania Planetária-WCPC.